A infância para um cara com paralisia cerebral?

Nesse post, dou continuação a minha série de artigos sobre, a visão da vida de um cara com paralisia cerebral.

Como falei no primeiro post, minha paralisia foi provocada pela falta de oxigênio na hora do parto.

Obs: Essa parte da minha vida ainda é estranha, pois passei do tempo de nascer e nasci roxo, só que até os 7 meses eu era uma criança saudável.

Mas aos 7 meses, tive uma gripe muito forte, e fui medicado por um médico bêbado com medicamentos de adulto.

Sim, um médico bêbado! Nessa época minha família morava no interior do paraná, e em 1986, não tinha muita fiscalização.

Lamentável, que a irresponsabilidade de um dia ruim, pode afetar a vida de outras pessoas para sempre!

E crescer com uma deficiência grave no corpo e na fala! Me afetou, não só, na deficiência que todos enxergavam! Mas, no desenvolvimento como pessoa.

Pelo simples fato, com o tempo, não ter confiança e auto estima!

Como assim!?

Uma criança normal, quando começa a falar, ela é incentivada e encorajada a falar! E cresce criando essa coragem interna.

Agora imagine, tentar falar algo e ninguém entender! Falar algo e tirarem sarro da dificuldade ou pior, te ignorar.

Isso cria uma trava psicológica de tal forma, que eu comecei a acreditar que não era digno de conversar com as pessoas.

E essa trava, me prendia dentro de mim mesmo! Tive de ter força para não enlouquecer ou esquecer que minha casca, minha carne meu corpo estava danificado, mas minha mente não!

Mas vivia, em um corpo que não correspondia com a mente que ali estava. E isso doía a alma.

Ver todos os garotos correndo, falando e crescendo fortes! Até tive medo de ter ofendido deus, e meu sofrimento ser um castigo divino

Tive paciência de esperar… Esperar minha lesão cerebral estabilizar!

Continuo no próximo post!